• Diogo Oliveira

30 Truques e Dicas para a sua Sony Alpha A7RIII | Diogo Oliveira onWILD


Assim que compramos uma máquina nova, a maioria de nós fica tão entusiasmado que queremos começar logo a utilizá-la e a aumentar o nosso processo criativo... mas este processo também pode ser frustrante. Conhecer e aprender todo o menu, os recursos e funções é desafiante, especialmente se estamos a trocar de outro sistema ou de uma marca completamente diferente. Este guia é para quem como eu trocou de sistema para uma das melhores máquinas, a Sony A7R III, e por isso se encontra na mesma situação.


A Sony A7R III tem um sistema de menus novo, com uma disposição dos botões diferente e novos recursos, o que a tornam numa das melhores máquinas que já tive oportunidade de experimentar e utilizar diariamente. A decisão de criar este pequeno guia é para que possam desfrutar ao máximo da vossa Sony A7R III, ou de outro modelo semelhante que tenha o mesmo menu, como a Sony A7 III e a Sony A6600. Há mais de um ano que utilizo a Sony A7R III e tenho explorado a máquina em diferentes situações reais, acabando por inevitavelmente configurar e personalizar a máquina à minha maneira. Não pretendo fazer nenhum review extensivo, mas sim um mini-guia para ajudar a reduzir a curva de aprendizagem no que toca a configurar a máquina de forma a concentrarem-se mais nas fotografias e menos nas configurações.


As imagens estão em inglês pois é complicado conseguir fotografar o LCD com qualidade para ser visível. Se alguém tiver uma solução estou disposto a experimentar e atualizar este post. Quem tiver a máquina em inglês pode acompanhar pelas imagens. Espero que desfrutem deste guia.



CONFIGURAÇÃO INICIAL

Depois de tirarem o corpo da máquina da caixa e carregarem a bateria, muitos de vocês devem estar mortinhos para começar a tirar fotografias. Pelo menos eu estava! Mas antes de tirar as primeiras fotografias, existem várias configurações básicas que devem ajustar. Embora estas configurações não sejam "game-changing" no que toca à sua experiência com esta máquina, A7R III, elas não deixam de ser importantes.



Configurar região e horas

Quando ligam a máquina pela primeira vez vão ser saudados por uma opção para escolher o idioma. Devem escolher o que melhor se adeque aos vossos conhecimentos, eu gosto de ter as máquinas todas em inglês. Depois de escolherem o idioma, chegou a altura de selecionar a vossa região, a data e as horas. Embora a maioria dos fotógrafos faça esta configuração inicial e nunca mais pensem nela. A verdade é que se utilizarem várias máquinas diferentes como eu, podem imaginar a dor de cabeça que este assunto se pode tornar. Em especial para quando fazemos viagens para outras regiões. Devem assegurar-se que todas as vossas máquinas possuem a mesma data e hora, e devem fazer as necessárias alterações sempre que forem viajar. Desta forma vão conseguir assegurar-se que quando estão no vosso programa de edição/organização, como o Adobe Lightroom ou outro, as vossas fotografias tiradas por diferentes máquinas ficam alinhadas na perfeição.



Depois da configuração inicial estes recursos podem ser encontrados no Menu 'Configuração5' (5/7), respetivamente 'Conf Data/Hora' e 'Definição de Área'.



Escolher RAW ou JPEG

Para além de escolherem o idioma e definir a data e horas, a primeira configuração que a maioria dos fotógrafos faz é verificar se estão a fotografar no formato de imagem que pretendem. Por defeito, a maioria das máquinas vem preparada para fotografar em JPEG. Pessoalmente (e profissionalmente), eu prefiro fotografar em RAW para poder ter acesso a toda a informação da fotografia que é capturada pelo incrível sensor dentro da A7R III.



Devo no entanto salientar que podemos ainda escolher o tipo de ficheiro RAW que queremos com a A7R III: Comprimido ou Descomprimido. Por defeito o formato de ficheiro selecionado é o Comprimido, que na sua essência é um ficheiro de RAW mais pequeno (40mb vs 80mb) mas é considerado um ficheiro 'com perdas' ("lossy") porque recorre a um algoritmo que ajuda a diminuir o tamanho do ficheiro de RAW. Este algoritmo remove alguma da informação considerada desnecessária ou redundante enquanto fornece uma fotografia que ainda pode ser editada ao nosso gosto pessoal. O formato Descomprimido não recorre a nenhum algoritmo, sendo por isso um ficheiro RAW puro e sem perdas de dados. A diferença entre ambos é em 95% dos casos insignificante, no entanto, se tiram fotografias em situações com grandes contrastes, como astrofotografia ou fotografia noturna, então recomendo utilizarem o formato RAW Descomprimido.



Ambas as configurações podem ser encontradas no primeiro menu, 'Qualidade/Tamanho Imag. 1'.



Desligar Redução de Ruído Longa Exposição, Redução de Ruído com ISOs Altos e o Auto DRO/HDR

Embora a Sony faça um bom trabalho ao providenciar recursos e configurações eficientes nas suas máquinas, no que toca à redução de ruído e ao HDR prefiro ser eu a controlar tudo na pós-produção. Por este motivo desligo sempre a Redução de Ruído de Longa Exposição, a Redução de Ruído com ISOs Altos (apenas com JPEG) e o Auto HDR (que vai aumentar o alcance dinâmico de forma artificial). Cada uma destas configurações encontra-se ativa por defeito na A7R III, no entanto, se não possuem à vontade com as técnicas pós-produção para reduzir o ruído ou com o HDR podem deixar algumas delas ligadas para vos ajudar.



Estas configurações podem ser encontradas no segundo e décimo segundo menus da primeira tab, ou seja, 'Qualidade/Tamanho Imag.2' (2/14) e 'Cores/WB/Proces. imagens' (12/14).



Escolher o Espaço de Cor

Por defeito, a A7R III vem com o espaço de cor definido para sRGB, que é o espaço de cor mais utilizado e o que é aceite pela grande maioria dos websites e quase todos os telemóveis e tablets. No entanto, este espaço de cor não possui um grande perfil de cor, ou seja, não captura as diferentes variações dentro da mesma cor que outros Espaços de Cor. Por exemplo, se o destino das vossas fotografias for a impressão, devem antes utilizar o Espaço de Cor AdobeRGB pois contêm um maior espectro de cores que consegue capturar. Embora não seja um grande problema se tiverem a fotografar em RAW, pode ser menos um detalhe que tenham de alterar quando estiverem a editar as fotografias. O que recomendo é escolherem o Espaço de Cor que melhor se adeque ao destino final que vão dar às vossas fotografias, apenas não se esqueçam de escolher o correto quando forem imprimir ou partilhar uma imagem.



Esta configuração pode ser encontrada no menu 'Qualidade/Tamanho Imag.2' (2/14).



Definir o Auto Bracketing

Se gostarem de fotografar paisagens ou forem um fotógrafo de viagens que procuram fotografias com um maior alcance dinâmico para terem mais dados para cada fotografia então vão gostar de utilizar o recurso de fotografar usando o 'bracketing', ou seja, captura de múltiplas imagens da mesma cena mas com diferentes exposições. Devem apenas fazer pequenos ajustes às definições de bracket e modo de disparo. Como devem saber é sempre recomendado utilizarem um tripé para este tipo de fotografia.


Primeiro vamos alterar as definições de bracket no menu 'Modo de fotografia/avanço1' (3/14), e devem alterar o 'Temp. auto dur. Brkt' de 'Desligado' para '2 seg.', e depois é mais uma questão pessoal, eu gosto de alterar a 'ordem bracket' de '0-+' para '-0+'.



Devemos ainda alterar as definições do 'Modo de avanço' ou modo de disparo. Desçam até verem 'BRK C - 0.3EV3' e pressionem para a direita ou esquerda com a Roda de Controlo até verem 'BRK C - 2.0EV3'. Esta configuração vai permitir tirar 3 fotografias em bracket com 2 stops de diferença entre cada imagem, que é o meu favorito para quando faço bracketing. Ao definirem o temporizador para 2 segundos e escolherem este modo de disparo, a A7R III vai tirar rapidamente as três fotografias sem fazer pausa no meio.

Estas configurações podem ser encontradas no menu 'Modo de fotografia/avanço1' (3/14).



Alterar as Definições de Saliência (Peaking)

Se por vezes tem de fotografar em focagem manual então devem utilizar um dos melhores recursos da A7R III que é a Definição de Saliência (ou 'Focus Peaking'). Assim que ligam a focagem Manual na lente (MF) vai aparecer uma sobreposição de cores sobre a vossa imagem quando os assuntos começam a ficar focados, tornando todo o processo mais fácil quando estamos a tentar obter imagens nítidas.



Para terem os melhores resultados recomendo escolherem o 'Nível Saliência' para 'Médio', devem ficar com as seguintes configurações: 'Apresent. Saliência': Lig. | 'Nível Saliência': 'Médio' | 'Cor Saliência': 'Vermelho'. Estas definições podem ser encontradas no menu 'Auxiliar de Focagem' (13/14).



Ligar as Linhas de Grelha

Embora o 'Nível de Horizonte' seja um recurso extremamente útil quando estamos a utilizar um tripé, pode ser um problema quando estamos a utilizar a máquina na mão. Uma solução simples para ajudar a manter a composição correta é recorrer às Linhas de Grelha.



Eu gosto de utilizar a Regra dos Terços, que aparece com o termo 'Grelha 3x3', que não só me ajuda a manter a máquina nivelada como me ajuda a colocar o meu sujeito no melhor local enquanto estou a fotografar.


A configuração 'Linha Grelha' pode ser encontrada no menu 'Visualização/Revisão auto1' (6/9').



Desligar os Sinais Sonoros

Sou fotógrafo de Vida Selvagem e qualquer som pode afugentar os animais. E como podem imaginar um dos sons mais irritantes são aqueles pequenos beeps que as máquinas digitais fazem quando focam, quando disparam ou quando estamos a utilizar o temporizador. Noutras situações podem não ser tão irritantes, especialmente quando estamos sozinhos, mas quando estamos com outros fotógrafos podemos receber aqueles maus olhares enquanto fotografamos o pôr-do-sol e a vossa máquina é a única que está constantemente a fazer barulho. Basta selecionarem a opção 'Desligado' no menu




Desligar a Luminosidade Automática

Uma das configurações que devemos prestar mais atenção é à luminosidade do LCD e do visor. A máquina vem por defeito com o 'Brilho Monitor' em 'Quando há sol' (automático). Isto significa que o brilho do monitor pode variar consoante as condições de luz. Nas máquinas mirrorless é usual recorrermos mais ao monitor do que ao visor, e este monitor deve mostrar-nos o resultado final consoante a exposição e abertura definidos e é um dos benefícios de o utilizar (fora situações de pouca luz ou de utilização de flash). Se esta definição estiver em automático, a cena a fotografar pode parecer com mais luz do que o ficheiro de RAW final e pode levar-nos a cometer alguns erros de compensação.



A melhor solução é alterar o modo para o 'Manual' e deixar no '+-0'. Desta forma o resultado final será o mais aproximado ao que é visualizado no monitor. Esta configuração pode ser encontrada no menu 'Configuração1' (1/7).



Selecionar o ISO Automático e VO mín. ISO Auto

Outro recurso que dá imenso jeito na A7R III é a utilização do ISO automático. Quando estamos a fotografar nos modos Manual, Prioridade ao Obturador ou Prioridade à Abertura (tanto em fotografias como em filmes) temos a opção de selecionar o ISO automático, para que a máquina escolha por nós o melhor ISO para aquela cena. Este recurso é extremamente útil quando estamos a fotografar em locais onde a luz mude constantemente, como fotografia de rua ou de vida selvagem.



Agora para realmente aproveitarem este recurso devem definir também o 'VO mín. ISO AUTO'. Para conseguirem alterar esta configuração devem estar no modo Prioridade à Abertura (o modo com o ícone 'A' no seletor de modos no topo). Neste modo, tem a possibilidade de escolher qual a velocidade mínima que deixam a máquina atingir antes de ligar o recurso de Auto ISO. Como é que isto funciona? Vamos imaginar que estão a fotografar no modo Prioridade à Abertura enquanto passeiam pela vossa terra natal. No vosso percurso a luz vai variando nos vossos sujeitos, sol, sombra, sol. Mas ao definir o 'VO mín. ISO AUTO' para 1/125 seg. estão a dizer à máquina que se a velocidade do obturador nunca baixar de 1/125 seg., então o vosso ISO de 100 não será alterado. Mas, se de repente escolherem fotografar um assunto à sombra ou com pouco luz, a máquina vai aumentar o ISO para manter essa velocidade de disparo, certificando-se que a velocidade do obturador nunca baixa da velocidade que definirem e não ficarem com fotografias tremidas no processo.



Ambas as configurações podem ser encontradas no menu 'Exposição1' (9/14).



NOVOS RECURSOS NA A7R III

Embora a Sony A7R III seja bastante familiar para muitos fotógrafos, em especial quem evolui da A7R II, existem vários recursos que são novos e que devem configurar e aprender como utilizar para realmente conseguirem tirar o máximo partido desta máquina. Aqui ficam alguns.



Definir o fluxo de Trabalho do Cartão Multi SD

Uma das configurações mais pedidas era o suporte para vários cartões SD. No entanto, visto que existem várias possibilidades de gravação para um dos dois cartões ou para ambos, devem definir que tipo de fluxo de trabalho pretendem. Muitos desejam que tudo o que for capturado pelo cartão 1 (o mais rápido com UHS II) seja automaticamente copiado para o cartão 2. Existe também a possibilidade de separar os RAW/JPEG ou fotografias/vídeos ou só copiar as fotografias (ou vídeos) para o cartão que sirva de cópia de segurança. Como percebem existem várias opções.



Agora se forem como eu que nunca tiveram um problema com um cartão SD, não faz sentido gravar uma cópia para o segundo cartão quando estão a fotografar. Mas isso não significa que não tenham essa opção. Podem definir qual a 'Prior. suporte grav.' para a ranhura 1, a mais rápida, ou definir o 'Modo de Gravação' e ainda ativar a 'Mud. auto. suporte' para que a máquina troque de cartão quando ficarem sem espaço a meio de uma sessão sem terem de se preocupar. Este problema acontece-me muitas vezes quando estou no campo, distraído a fotografar e de repente algo acontece e sem ter reparado que o cartão estava cheio acabo por perder a fotografia.



A configuração 'Def. Suporte Grav.' deve ser alterada no menu 'Configuração6' (6/7).



Aproveitar um verdadeiro Botão para Focar nas traseiras

Uma das melhores configurações que podemos encontrar na A7R III é o botão dedicado ao foco nas traseiras da máquina, isto no que toca a ergonómica e à disposição dos botões. A ideia do botão de foco traseiro é muito simples. O botão de disparo (obturador) à frente da máquina fica configurado para apenas tirar a fotografia, enquanto o botão nas traseiras está dedicado para focar. Ao separar as duas funções, é possível reagir muito mais depressa e conseguir tirar a fotografia, ou seja, sem acidentalmente pressionar o botão de disparo e a máquina acabar por focar outro assunto no fundo e acabar por perder a fotografia desejada. O foco é realizado assim exclusivamente pelo botão traseiro.



O botão 'AF-ON' vem configurado por defeito para a função