• Diogo Oliveira

Missão: Truques para Fotografar a Cobra-cega, Répteis de Portugal

A cobra-cega (Blanus cinereus) é um dos répteis endémico da Península Ibérica mais interessantes da nossa fauna. Esta espécie possui os olhos atrofiados e cobertos por escamas, sendo apenas visíveis dois pontinhos negros sob a pele (ver imagens). Tem um aspeto vermiforme, não possuem membros e chegam a medir 28 cm. É uma espécie inconfundível devido à sua coloração roxa, cinzenta ou arroxeada e ao seu aspeto.



Pode ser encontrada de Fevereiro a Novembro, no entanto, é na primavera e verão que ocorrem mais observações. Os seus hábitos são maioritariamente subterrâneos, tendo atividade tanto de dia como de noite, possuindo uma excelente capacidade para escavar tuneis. Protege-se debaixo de pedras e rochas até atingir a sua temperatura ótima (entre 19 a 24◦ C).


A sua biologia reprodutora continua um mistério, no entanto, a sua atividade reprodutora inicia-se antes da primavera, colocando um único ovo alongado e de grande tamanho durante junho e julho. Atingem a maturidade sexual após o primeiro ano de vida.


Alimentam-se de formigas, larvas de insetos e outros artrópodes subterrâneos. Possui bastantes predadores, como o sardão, cobras, aves e até pelo sapo-comum, no entanto possui varias técnicas de defesa, como a autotomia da cauda, enrola o corpo sobre si mesmo e por vezes contorce-se violentamente, podendo inclusivamente chegar a morder, no entanto não possui veneno e é inofensiva para o Homem. É uma espécie termófila, ocupando áreas com clima mediterrânico. Habitat em zonas com solos pouco compactos e com uma certa humidade.