• Diogo Oliveira

Festival de Observação de Aves em Sagres - Sexta-feira (segundo dia) | Diário Fotográfico

Na ponta de Portugal

O Festival de Observação de Aves em Sagres é um evento anual onde observadores de todo o mundo juntam-se para observar e registar a migração de milhares de aves desde a Europa até aos seus territórios de inverno em África. O movimento das aves é feito ao longo da costa, ao chegar a esta ponta de Portugal, muitas acabam por procurar refúgio e alimento antes de continuarem a viagem. Esta paragem permite aos biólogos e observadores de aves registar a sua presença, revelando dados importantes na migração de diversas espécies. Este evento é uma organização conjunta entre a Câmara Municipal de Vila do Bispo, a SPEA e a Almargem. A 10ª edição do Festival recebeu cerca de 1500 participantes vindos de 36 países. Foram 4 dias repletos de iniciativas dedicadas à Natureza, realizadas em vários pontos de Sagres, desde o Pavilhão Multiusos ao Cabo de São Vicente, passando pelo Forte do Beliche, a Cabranosa e o Monte das Esparregueiras. Em caminhadas, saídas de barco e pontos de observação fixos, este ano foram observadas 217 espécies de aves, incluindo algumas menos comuns, como a petinha-de-richard e raridades como a felosa-bilistada e o moleiro-rabilongo. Outro dos momentos altos desta edição foi a observação de 100 águias-calçadas em simultâneo, logo no primeiro dia do Festival.


Saída Fotográfica – Aves Florestais

No segundo dia ia ter mais actividades para guiar! A primeira era na zona florestal da Cabranosa onde tinha montado um pequeno bebedouro e comedouro. Este local foi apenas preparado no dia anterior e por isso serviria apenas de exemplo para algumas fotografias.


Curso Fotográfico – Vida Selvagem

O primeiro curso fotográfico era sobre todo o trabalho que era necessário fazer em casa, desde escolher e conhecer o equipamento, mas também sobre todo o estudo que precisamos de fazer para conhecer melhor as espécies a fotografar. No final gosto sempre de guardar uns minutos para algumas questões e tentar algum tempo aos participantes para esclarecerem todas as suas dúvidas sobre fotografia de vida selvagem.


Saída Fotográfica – Mar e Estrelas

Ao final do dia fomos novamente até à Praia da Ponta Ruiva para fotografar o pôr-do-sol. Desta vez o tempo estava completamente diferente, ao invés de sol tivemos um dia cheio de nuvens e um pouco de chuva. A sessão correu bem, com o céu super carregado e com uma maré super baixa que nos deixou várias rochas à mostra. Esta combinação permitiu obter fotografias muito boas. A subida aos carros custou mais, pois para mim já era a quarta vez seguida que a fazia. Por causa das nuvens, a sessão das estrelas teve de ser cancelada.


Saída Fotográfica – Aves Noturnas

A última actividade era procurar aves noturnas. Mas a presença de campistas na zona da Cabranosa acabou por espantá-las para outras paragens. Foi possível exemplificar o que fazemos para as fotografar, e testar as máquinas. Assim consegui ajudar a regular as definições para que na próxima saída possam conseguir uma boa fotografia. O dia terminou já no sábado, perto da 1 da manhã! Mas foi muito gratificante conhecer tanta gente com a mesma paixão.