• Diogo Oliveira

Artigo: Ouriço-cacheiro, Mamíferos de Portugal

O ouriço-cacheiro (Erinaceous europaeus) é um dos mamíferos terrestres da região europeia mais peculiar, pois possui o corpo coberto de espinhos. Esta armadura, puramente defensiva, afugenta os predadores mais destemidos, conferindo-lhes uma excelente proteção. Estes pequenos mamíferos pertencem a uma das famílias mais velhas de mamíferos, possuindo ainda algumas características primitivas. Existem pelo menos 10 subespécies de ouriços-cacheiros atualmente conhecidas.



Os ouriços-cacheiros possuem os órgãos olfativos mais desenvolvidos que os outros órgãos sensoriais, isto porque, o olfato é importante para localizarem as suas presas. Eles alimentam-se de insetos, maioritariamente, escaravelhos, lagartas de borboletas, milípedes, minhocas e gorgulhos. Devido à sua alimentação, os ouriços-cacheiros são aliados dos agricultores pois alimentam-se das pragas da maioria das colheitas, e não são uma praga ou peste como tem sido considerados ao longo dos tempos. Durante os meses de inverno algumas espécies de mamíferos baixam a sua temperatura corporal e o seu metabolismo, para reduzir o consumo de gorduras acumuladas. Para sobreviverem aos invernos rigorosos da região europeia é necessário acumular peso suficiente durante o outono.


Os ouriços-cacheiros hibernam quando as temperaturas rondam os 9ºC a 2ºC e a temperatura corporal flutua com a temperatura do ambiente. O começo da hibernação não é certo, mas sim devido a uma diminuição da atividade, o que culmina com a hibernação quando a temperatura desce para níveis críticos. A extensa camada de gordura subcutânea que se forma durante o Outono é utilizada como isolamento durante a hibernação.


Os ouriços-cacheiros possuem uma elevada taxa de mortalidade devido a fatores como o trafego automóvel, a predação (como o texugo, a raposa, o bufo-real, entre outros) e a mortalidade durante a hibernação. A maturidade sexual é atingida aos 9 meses. A época de reprodução decorre de Abril a Setembro, variando entre 1 a 2 ninhadas por ano, consoante as temperaturas médias. A gestação dura 1 mês e nascem até 5 crias. É possível determinar a idade dos ouriços-cacheiros através de linhas de crescimento no maxilar, no entanto, esta técnica apenas pode ser utilizada em animais mortos.


Os ouriços-cacheiros encontram-se distribuídos por toda a Europa. Mas durante a última glaciação, a glaciação de Wurm, a espécie desapareceu do Norte da Europa que foi depois colonizada através da população sobreviventes mais a sul. Durante os 100.000 anos que durou a glaciação, os ouriços-cacheiros sobreviveram em apenas dois locais da Europa, na Península Ibérica, Sul de França e sul de Itália, e na região do Mar Cáspio e Mar Negro. Estes refúgios deram origem a duas espécies diferentes. Os que se refugiaram na região da Península Ibérica evoluíram para o atual ouriço-cacheiro europeu, Erinaceous europaeus.


Como curiosidade, esta espécie foi introduzida na Nova Zelândia, sendo atualmente uma espécie exótica bem sucedida.


Para mais fotografias consultar a galeria desta espécie no link: GALERIA OURIÇO-CACHEIRO